Sou a Thalita Vitoreli, jornalista, 27 anos. Me casei em 2012 e estou aprendendo a curtir a maravilhosa viagem que é o casamento!
Vamos juntas?!
Confira aqui todas as colaboradoras do Tô Casada.com!

Curta no Facebook!

Instagram

Parceiros

+ acessadas

Arquivos

Vamos às compras?!

26jan
Publicado por Blog TôCasada.com
Delírios de Consumo

Os Delírios de Consumo de Becky Bloom

 

 Como o padrão de consumo, e não somente o quanto se ganha, pode impactar a saúde financeira 

Em economia dizemos que as necessidades são ilimitadas, porém os recursos escassos. Essa frase resume tudo o que a Economia busca responder: como utilizar os recursos de forma eficiente para obter o máximo de retorno, ou seja, escolher a melhor maneira de se utilizar cada recurso de forma que seja possível alcançar o maior nível de satisfação.

Nada contra os profissionais de finanças em geral, mas creio que ninguém entende melhor essa definição do que as mulheres, rs. Se você já assistiu ao filme Os Delírios de Consumo de Becky Bloom (2009), vai entender bem o que estou falando. O filme conta a história de uma jovem compradora compulsiva e que por essa razão acaba em apuros.
A classe feminina (como a personagem do filme) tem uma predisposição, eu diria genética, para entender bem o que são necessidades ilimitadas, principalmente quando se referem a bolsas, sapatos, roupas e acessórios. Brincadeiras à parte, a verdade é que o mundo feminino e suas necessidades vão muito além do que alguns chamariam de supérfluos. Todos os dias mães, esposas e profissionais das mais diversas áreas se vêm diante de escolhas quanto a O QUE comprar, COMO comprar e QUANTO comprar. Essas são as questões básicas que em economia chamamos de demanda.

Como escolher o que comprar? Quais produtos? De quais marcas? Depois de escolhido o produto, quanto compraremos? Um, dois, dez? E por fim como pagaremos, à vista, parcelado?

A resposta para essas perguntas está longe de ser tomada considerando apenas um único fator. Assim uma decisão de compra envolve tantos fatores quantos forem possíveis e necessários para a escolha final, todavia muitas vezes essas escolhas são também feitas baseadas em fatores subjetivos como as preferências.

Pense em algo que teve de comprar hoje por exemplo. Como tomou essa decisão? Era algo necessário ou desejado?

A forma como suprimos nossas necessidades que são ilimitadas influenciarão em muito a saúde de nossas finanças. A qualidade do meu gasto hoje determinará com certeza a qualidade da minha vida financeira amanhã. Talvez você se questione dizendo: mas o que ganho mal cobre minhas necessidades de subsistência! Mas eu garanto que com alguns princípios bem simples é possível começar a mudar esse cenário.
Esse é o meu objetivo – a cada postagem discutiremos maneiras de melhorar nossa vida financeira e eu convido você a estar comigo nessa jornada.
Um abraço,

assinatura_ligia