Sou a Thalita Vitoreli, jornalista, 27 anos. Me casei em 2012 e estou aprendendo a curtir a maravilhosa viagem que é o casamento!
Vamos juntas?!
Confira aqui todas as colaboradoras do Tô Casada.com!

Curta no Facebook!

Instagram

Parceiros

+ acessadas

Arquivos

Um turbilhão de emoções

16maio
Publicado por Blog TôCasada.com

emocoes

Você certamente já ouviu falar que quando a mulher está grávida as emoções ficam à flor da pele, certo? Pois é, eu também já tinha ouvido falar sobre isso, mas confesso que VIVER essa experiência foi bem diferente. Quando você sobe no carrinho da montanha russa de emoções da gravidez e aperta o cinto, a coisa muda de figura.

Hoje o papo é sobre como e porque as emoções influenciam a mulher (e os que estão à sua volta!) durante a gestação e como lidar com elas.

De quem é a culpa?


A culpa das alterações emocionais que a gente experimenta é de dois hormônios presentes em nosso organismo em maior quantidade por causa de gestação: estrogênio e progesterona. As variações hormonais no corpo da mulher provocam profundas alterações, tanto físicas quanto emocionais. Para você ter uma ideia, o estrogênio, hormônio responsável pelo preparo do corpo da mulher para a fertilização, pode aumentar em 30 vezes se comparado a uma mulher que não está grávida e quando isso acontece o resultado é: choro, estresse, ansiedade, preocupação.

Tem alguma coisa errada comigo?


Ter uma crise de choro por causa de um atraso relativamente pequeno do seu marido não é normal, certo? Errado, se tratando de uma gestante. O fato é que, quando você está grávida, coisas simples tomam grandes proporções. Aquela sensação de que você está sendo observada e de ser um extraterrestre bate à porta algumas vezes. “Será que tem algo errado comigo?” você chega a pensar.
São tantos motivos: a pele que está cheia de espinhas, o cabelo que tá estranho, o inchaço que te faz parecer bem mais gorda do que realmente você está, o calor, ter muito sono ou simplesmente não conseguir dormir. A comida que não cai bem ou a vontade louca de comer. As costas quem doem de uma maneira que não tem como explicar.

Nível de importância


Quando surge aquele estresse uma coisa relevante a se pensar é: essa situação é realmente importante e é digna da minha preocupação? Uma coisa que aprendi é: dê a sua atenção de acordo com o grau de importância das situações que está vivendo.
Um atraso, uma ligação não atendida, não são motivos tão sérios assim para se remoer não é mesmo? Por isso, respire e releve, afinal de contas o seu bebê está sentindo todas as suas emoções e reações.
É claro que existem outras situações que são mais graves e envolvem sentimentos bem intensos. A morte de um ente querido, a perda do emprego do seu cônjuge, alguma situação mais grave de saúde envolvendo pessoas próximas, problemas no ambiente de trabalho e nesses casos é preciso calma e sabedoria!
A verdade é que você vai experimentar uma montanha russa de emoções durante a gravidez. Algumas situações bem importantes, outras mais simples de se resolver. O ideal mesmo é buscar a paz com você e com aqueles que estão à sua volta.

O que fazer?


Sinceramente e falando por experiência própria, acho que é um pouco inevitável se sentir assim. Em algum momento da gravidez uma tristeza, preocupação ou ansiedade vão chegar e, em alguns casos, se transformar em lágrimas incontroláveis. O que fazer, então? Acredito que, como em todas as fases da vida, temos que viver as emoções: não negligenciá-las, mas também não exagerá-las. Quando estiver meio pra baixo tire um tempo para você. Fique a sós em silêncio ou converse com aquela pessoa da sua confiança que vai te escutar sem te julgar. Escreva seus sentimentos em um diário. Entre no seu quarto e ore. Faça uma caminhada ou outra atividade que te dê prazer, ouça o som dos pássaros. Viva a emoção, mas não se deixe vencer por ela. Não fique se remoendo. Levante a cabeça e continue a nadar!

Boa Semana!

assinatura_thalita

Deixe aqui seu comentário